Prefeitura de São Miguel dos Campos

Quarta-Feira

18 de Maio de 2022

Novidades Hackathon Mulheres cria primeiro ecossistema de Startup no município

Mulher e Direitos Humanos

Hackathon Mulheres cria primeiro ecossistema de Startup no município

Iniciativa teve como foco o edital Centelha II da Fapeal, promovendo o empreendedorismo feminino e o surgimento de ideias inovadoras

A Prefeitura Municipal de São Miguel dos Campos, através da Secretaria da Mulher e dos Direitos Humanos, realizou nos dias 09, 10 e 11 de fevereiro, no auditório do Campus do Instituto Federal de Alagoas – IFAL no município, o I Hackathon Mulheres, apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal), com foco no edital Centelha II.

O evento teve 54 horas de palestras, oficinas e mentorias, contando com 51 inscrições e foi aberto ao público todos os dias. Além da FAPEAL, o evento contou com o apoio do Centro Universitário de Maceió – CESMAC e as Startups LABBITZ e MULHERES CONECTADAS.

O modelo desse Hackathon foi inovador e surgiu, em um primeiro momento, como uma “maratona” de desenvolvimento de projetos para submeter ao edital Centelha II. Os envolvidos se reuniram por horas seguidas e focaram os esforços na idealização, elaboração e apresentação de projetos que possam melhorar o dia a dia das mulheres e o surgimento das primeiras Startups do ecossistema municipal.

A solenidade de abertura ocorreu na quarta-feira (09), e contou com a presença dos inscritos no Hackathon, bem como, a presença do vereador do município de Roteiro, David Noberto, o vereador de Teotônio Vilela, Ronivaldo Correia, a vereadora por São Miguel dos Campos, Simone Lima, e o deputado estadual, Sílvio Camelo, líder do governo do Estado na Assembleia Legislativa.

“Além de poder colocar seus conhecimentos em prática, esta foi uma excelente oportunidade para os participantes apresentarem seus projetos no edital Centelha II, que, identificando potencial e sendo aprovada no referido edital, pôde decidir por utilizar os recursos disponibilizados para ajudar a desenvolvê-los. Com esta proposta, queremos demonstrar que não basta ter um discurso ágil, inovador e digital, é necessário trazer para a prática e é isto que estamos propondo”, declarou Quitéria Julião, secretária da Mulher e dos Direitos Humanos.